A Tradição não é uma Prisão

Além das aptidões e das qualidades herdadas, é a tradição que faz de nós aquilo que somos.

Albert Einstein

No artigo A Perda de Identidade e a Crise no Espírito do Século XXI foram tecidas algumas considerações a respeito da perda identitária do homem ocidental e sua relação com o enfraquecimento do ethos dos povos cristianizados. Perda identitária que, por sua vez, foi intensificada pelo crescimento do materialismo e pelos apelos da sociedade de consumo contemporânea. Mostraremos neste texto que a perda identitária à que nos referimos reflete-se, também, na relação do homem com o que mantém esse ethos, ou seja, a tradição.  Continue lendo “A Tradição não é uma Prisão”

A Perda de Identidade e a Crise do Espírito no Século XXI

Uma das características mais perceptíveis no mundo ocidental atual é a de que, de uma maneira geral, as pessoas parecem estar muito confusas. Há uma incessante procura por algo que lhes dê significado e, ao mesmo tempo, uma tentativa de abandono de rótulos e definições antigas por medo delas serem demasiado limitantes. Essa busca frenética por uma identidade ocorre, paradoxalmente, junto a um afastamento efetivo das identidades pré-existentes. Continue lendo “A Perda de Identidade e a Crise do Espírito no Século XXI”

PORQUE NOS DENOMINAMOS HELENOS “ÉTNICOS” E PORQUE, POR MOTIVOS DE DIREITO PRÓPRIO, NOSSA RELIGIÃO É CHAMADA DE “ÉTNICA”.

A premissa básica para o que se segue é que a Etnia[1] Helena tem continuidade histórica ininterrupta até os nossos dias, e que a história não é apenas diferente, mas completamente contrária à versão contada pelos respectivos conquistadores e tiranos, militares ou religiosos. Continue lendo “PORQUE NOS DENOMINAMOS HELENOS “ÉTNICOS” E PORQUE, POR MOTIVOS DE DIREITO PRÓPRIO, NOSSA RELIGIÃO É CHAMADA DE “ÉTNICA”.”

A PRIMEIRA PROVAÇÃO DE ALCEU

Héracles Bebê Estrangula as Serpentes. Pietro Benvenuti (1817-29)

Alcmena havia tido duas crianças, dois meninos, um deles filho do grande Zeus, pai dos Deuses e dos homens, outro filho de Anfitrião, seu marido. O primogênito foi chamado Alceu, que era o nome do pai de Anfitrião. O outro foi chamado Íficles, mas o próprio Anfitrião não sabia, há este tempo, qual das duas crianças era seu filho. Continue lendo “A PRIMEIRA PROVAÇÃO DE ALCEU”